Principais Pesquisas:2001 a 2018

Saiba um pouco da história das principais pesquisas desenvolvidas de 2001 a 2018
  • 2021
    Pesquisa Continuar Cuidando – Observatório da COVID-19
    +
    Liderada pela Secretaria de Estado de Saúde da Paraíba, com apoio do Observatório de Síndromes Respiratórias da UFPB, a pesquisa Continuar Cuidando – Observatório de COVID-19, foi realizada pela SCIENCE, que definiu o plano de amostragem, realizou a coleta dos questionários, processou e analisou os dados, entregando os relatórios pactuados. “Conhecer como a pandemia afetou, e está afetando, a vida das pessoas, as condições de saúde delas e a rotina das famílias.” Segundo Daniel Beltrammi, Sec. Exec. De Saúde – PB, este foi o objetivo principal da Pesquisa Continuar Cuidando. Adotando estratégia desenvolvida, testada e aplicada com sucesso pela SCIENCE em estudos anteriores, a equipe de coleta foi acompanhada por Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para evitar ter questionários de participantes sem os resultados de exames e vice-versa. Os ACS realizavam punção digital para os testes rápidos e a coleta de material da orofaringe para o teste RT-PCR, enquanto o entrevistador fazia o preenchimento do questionário. A pesquisa forneceu estimativas de prevalências baseadas nos três marcadores contidos nos dois testes. O teste rápido fornecia resultados imediatos, que eram anotados no dispositivo móvel de coleta, e comunicados aos participantes da pesquisa durante abordagem no campo. O material colhido para o teste RT-PCR (considerado mais preciso para detecção de infecção atual pela COVID-19) era remetido ao LACEN-PB em João Pessoa para análise, sendo seus resultados comunicados aos participantes dias depois. A pesquisa estimou, ao final do período de coleta, que cerca de 10% da população da Paraíba (pouco mais de 400 mil pessoas) já apresentavam anticorpos para o novo coronavírus, indicando que já haviam sido infectadas. Este número é mais que o dobro do número de casos confirmados registrados no Estado ao término da pesquisa (cerca de 174 mil), confirmando o valor da pesquisa amostral de base domiciliar para fornecer um retrato mais abrangente da prevalência de contaminação da população pelo vírus.
    Inquérito de Cobertura Vacinal
    +
    Liderado pelo Professor Doutor José Cassio de Moraes, do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com financiamento do CNPq (Processo nº 404131/2019‐0), o Inquérito de Cobertura Vacinal (ICV) está sendo realizado pela SCIENCE em 20 capitais brasileiras: Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió, Natal, Palmas, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, São Luís, Teresina e Vitória. O ICV tem como principal objetivo estimar a cobertura vacinal da população de crianças nascidas vivas nos anos de 2017 e 2018 nos 20 municípios indicados, o que exige a realização de entrevistas domiciliares em uma amostra representativa de 23.400 domicílios com crianças elegíveis. O ICV vai também permitir conhecer a opinião dos responsáveis sobre a necessidade ou não de vacinar as crianças e obter fotografias das cadernetas de vacinação das crianças, para avaliar o cumprimento do calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização (PNI). A principal motivação do ICV é tentar diagnosticar as causas da queda na cobertura vacinal que vem sendo observada pelos registros do PNI e que tem causado o retorno de doenças antes consideradas erradicadas no Brasil. O ICV é organizado como um inquérito multicêntrico, tendo um coordenador em cada estado, auxiliado por bolsistas do inquérito e por técnicos responsáveis por digitar as datas das vacinas de cada criança a partir das fotografias tiradas. A equipe de coleta da SCIENCE utiliza um sistema de entrevistas estruturadas aplicadas com dispositivos móveis de coleta. O sistema transmite os dados e fotografias de forma criptografada para o centro de apuração. O ICV utiliza ainda um sistema online de digitação das datas das vacinas, a partir das fotografias que são apresentadas na tela do computador do digitador e gravadas no banco de dados do inquérito.
  • 2020
    Transtorno de Compulsão Alimentar no Rio
    +

    2019 - 2020


    Após 2001
    Liderado pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ipub/UFRJ), o estudo pretende determinar a prevalência e os fatores correlatos ao Transtorno de Compulsão Alimentar no município do Rio de Janeiro. Para alcançar esse objetivo, serão avaliadas as condições de saúde de 2.500 pessoas entre 18 e 60 anos, residentes na cidade. Os resultados obtidos poderão facilitar a elaboração de estratégias e políticas de saúde, a partir da identificação da população que vivencia o transtorno. A Science ficou encarregada de desenhar a amostra de pesquisa, desenvolver o sistema de questionário eletrônico em dispositivo móvel de coleta, atualizar os endereços dos setores censitários selecionados, além das demais etapas até a montagem do banco de dados da pesquisa. Também participamos do treinamento e cuidamos do gerenciamento da equipe de coleta. A coordenação geral do projeto está sob responsabilidade do professor doutor José Carlos Borges Appolinário, do Ipub/UFRJ, que tem em sua equipe as professoras doutoras Rosely Sichieri, do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/Uerj); Glória Valéria da Veiga, do Instituto de Nutrição Josué de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (INJC/UFRJ); Silvia Freitas, do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (Gota/Iede-RJ); e Maria Angélica Nunes, do Grupo de Estudos e Assistência em Transtornos Alimentares da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Geata/UFRGS).
    Autoteste para HIV como forma de aumentar a demanda de prevenção combinada no projeto ImPrEP: ensaio randomizado
    +

    2019 - 2020


    Conduzido no Brasil, México e Peru, o projeto Implementation of Pre Exposition Prophylaxis (ImPrEP) funcionará como etapa preparatória para estabelecer serviços integrados de Profilaxia Pré-exposição (PrEP) nos três países, abordando aspectos estratégicos para a sua implantação. Desenvolvido pela Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), vinculada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o projeto conta com financiamento da Unitaid, iniciativa global para combater doenças graves em países de média e baixa renda, com ênfase em tuberculose, malária e HIV/Aids. O objetivo do ImPrEP é contribuir para a redução da incidência do HIV entre homens que se relacionam sexualmente com homens (HSHs) e mulheres transgênero (TGWs), por meio da inserção da Profilaxia Pré-exposição (PrEP) como um componente de serviços abrangentes de prevenção ao vírus. O projeto será implantado em 38 cidades, e o medicamento será fornecido para 7.500 HSHs e TGWs. A expectativa é contribuir para o aumento da utilização da PrEP entre HSHs e TGWs de alto risco nos três países participantes do projeto. A estratégia central para alcançar o resultado pretendido é adotar uma implementação multicêntrica, composta pelas seguintes intervenções: teste de HIV e verificação de elegibilidade para PrEP; inscrição e entrega de medicamentos de PrEP; e aconselhamento e acompanhamento de uso efetivo. A população de estudo é composta pelos participantes do ImPrEP que, por adesão voluntária, aceitaram integrar o ensaio clínico e pelos respectivos pares que eles tiverem encaminhado, denominados “recrutados”. Os participantes serão distribuídos aleatoriamente em blocos de dez indivíduos entre os grupos de intervenção e de controle. Os participantes do grupo de intervenção receberão cinco cupons de atendimento prioritário com cinco autotestes para HIV enquanto os do grupo de controle terão apenas cinco cupons de atendimento prioritário. Os recrutados que comparecerem ao serviço de saúde serão testados para HIV e, se elegíveis, serão incluídos no ImPrEP. A hipótese investigada é que o autoteste aumenta o número de recrutados que chegam ao serviço de saúde. O tamanho da amostra será determinado em uma análise intermediária, a ser realizada quando cada cidade tiver obtido 70 participantes. O número máximo de participantes é de 876 HSHs e TGWs (438 no grupo de intervenção e 438 no grupo de controle), incluídos no estudo ImPrEP e que tiverem feito a Profilaxia Pré-exposição por pelo menos 6 meses. A Science desenvolveu todos os sistemas computacionais para realização do estudo: randomização dos participantes; preenchimento dos questionários dos participantes e recrutados; controle de liberação dos autotestes; produção de relatórios semanais de acompanhamento; e gerou os arquivos para processamento e análise. O cálculo do tamanho final dos grupos do ensaio e a análise dos resultados também estão a cargo da Science.
    Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (Elsi-Brasil)
    +

    2019 - 2020


    Elsi-Brasil é uma pesquisa longitudinal, de base domiciliar, conduzida em amostra nacional representativa da população com 50 anos ou mais. Nesse tipo de estudo, um grupo de pessoas que compartilham uma mesma característica é acompanhado ao longo de um período de tempo predefinido. No caso do Elsi, o objetivo é examinar os fatores sociais e biológicos que determinam o envelhecimento e suas consequências para os indivíduos e a sociedade. O projeto é coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) - unidade Minas Gerais e pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A primeira onda da pesquisa foi realizada em 2015 e 2016, com financiamento do Ministério da Saúde e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação. Contou com a participação de 9.412 pessoas de 70 municípios situados nas cinco regiões brasileiras. Para realizar a segunda rodada do Elsi, a Science foi contratada, por inexigibilidade, pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), vinculada à UFMG. Nesta etapa, os pesquisadores devem encontrar e entrevistar todos os 9.412 participantes da primeira rodada. Precisam ainda complementar a amostra com novos adultos residentes nos domicílios dos entrevistados – ou em outros domicílios dentro dos mesmos setores censitários –, para assegurar um total de entrevistados igual ou maior que o da primeira rodada. A coleta de dados do Elsi foi iniciada em 30 de julho de 2019 e ainda está em curso. Os resultados vão gerar informações estratégicas, com potencial de subsidiar políticas para a promoção do envelhecimento ativo e para a melhoria da atenção à saúde de pessoas em idades mais avançadas. Por adotar metodologia semelhante à de outros estudos longitudinais ao redor do mundo, o estudo também vai possibilitar comparações internacionais.
    Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani)
    +

    2019 - 2020


    O Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani) é uma pesquisa científica domiciliar, realizada em nível nacional, para avaliar crianças menores de cinco anos quanto às práticas de aleitamento materno e de consumo alimentar, além do seu estado nutricional e possíveis deficiências de micronutrientes. A Science foi coproponente do projeto que venceu a concorrência para realização do estudo, que é financiado pelo Ministério da Saúde por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Serão visitados domicílios de famílias em todas as regiões do Brasil, incluindo as zonas rural e urbana, com o objetivo de alcançar 15 mil entrevistas. A coordenação geral do projeto está a cargo do professor doutor Gilberto Kac, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O planejamento do estudo foi iniciado em 2018 e teve a contribuição da Science, em especial nos pontos relativos à operação para coleta de dados. Além do desenho da amostra, a Science desenvolveu o sistema eletrônico para preenchimento e registro dos questionários em dispositivos móveis de coleta, recrutou toda a equipe de pesquisa e realizou teste-piloto. A etapa de coleta de dados começou em fevereiro de 2019 e se estenderá até o início de 2020, a fim de captar a sazonalidade do consumo alimentar. Sob responsabilidade da Science estão as atividades de montagem, treinamento e gerenciamento da equipe de campo; gestão da nuvem para a qual são transmitidos os questionários preenchidos; elaboração de relatórios de acompanhamento da coleta; processamento dos dados gravados na nuvem para geração de arquivos intermediários que permitam realizar a avaliação antropométrica; e acompanhamento dos exames de sangue das crianças, que fazem parte da devolutiva às famílias entrevistadas. Ao fim da coleta, os especialistas da Science farão eventuais correções e calcularão os pesos amostrais, calibrando-os caso seja necessário. As informações estruturais do plano de amostragem serão, então, incorporadas ao banco de dados a ser entregue à coordenação da pesquisa.
  • 2019
    Soroprevalência de zika, dengue e chikungunya no município do Rio de Janeiro (Projeto ZDC)
    +

    2018 - 2019


    O Projeto ZDC foi uma pesquisa domiciliar realizada no município do Rio de Janeiro pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Ensp), com gestão financeira da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), ambas vinculadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os entrevistadores visitaram os domicílios acompanhados de profissionais de saúde, que faziam testes rápidos de detecção dos vírus por punção digital e, a depender dos resultados, coletavam sangue para ser analisado no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz (Bio-Manguinhos). Conduzido entre janeiro de 2018 e fevereiro de 2019, o Projeto ZDC foi coordenado pelo professor doutor André Reynaldo Santos Perissé. A Science foi responsável por selecionar a amostra de setores e domicílios; desenvolver o sistema eletrônico de questionário em dispositivo móvel de coleta; montar, participar do treinamento e coordenar a equipe de coleta de dados; gerenciar a nuvem para a qual eram transmitidos os questionários preenchidos; produzir relatórios de acompanhamento da coleta; processar os dados da nuvem (crítica e imputação probabilística); expandir a amostra; e gerar o banco de dados da pesquisa.
  • 2018
    Pesquisa domiciliar de turismo interno
    +
    O trabalho teve como objetivo avaliar se a pesquisa direta captava maior número de viagens de turismo doméstico do que as entrevistas por telefone. Para isso, foi conduzida pesquisa domiciliar nos estados do Pará, de Pernambuco, da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo e do Paraná, além do Distrito Federal. A Science selecionou a amostra de setores e domicílios; desenvolveu o sistema eletrônico de questionário em dispositivo móvel de coleta; montou, participou do treinamento e coordenou a equipe de coleta de dados; gerenciou a nuvem para a qual eram transmitidos os questionários preenchidos; produziu relatórios de acompanhamento da coleta; processou os dados da nuvem (crítica e imputação probabilística); expandiu a amostra; e gerou o banco de dados da pesquisa. O projeto aconteceu entre dezembro de 2017 e agosto de 2018, sob coordenação do professor doutor Wilson Rabahy, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP).
    Pesquisa de satisfação dos usuários do Sistema Único de Assistência Social
    +
    De alcance nacional, a pesquisa foi realizada de janeiro a julho de 2018 entre usuários dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) com idade a partir de 18 anos. A Science venceu a concorrência da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), ligada à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que recebeu solicitação do Ministério do Desenvolvimento Social para executar o levantamento. O coordenador do projeto foi o professor doutor Jerônimo de Oliveira Muniz. Para esse trabalho, adotou-se procedimento de amostragem inversa para selecionar 5.884 usuários de um total de 480 Cras no primeiro estágio da amostra. O sistema de questionário eletrônico em dispositivo móvel de coleta foi desenvolvido pela equipe da Science, que também montou, participou do treinamento e coordenou a equipe de coleta de dados; gerenciou a nuvem para a qual eram transmitidos os questionários preenchidos; produziu relatórios de acompanhamento da coleta; processou os dados da nuvem (crítica e imputação probabilística); expandiu a amostra; e gerou o banco de dados da pesquisa.
    Programa Água para Todos – Coordenação metodológica de pesquisa
    +
    Projeto realizado de maio a agosto de 2018 em parceria com a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e no qual o professor doutor Paulo Jannuzzi, associado da Science, exerceu a função de coordenador metodológico dos instrumentos e das pesquisas de avaliação do programa Água para Todos. Este é uma iniciativa do Governo Federal que reúne medidas preventivas e corretivas contra a seca nas regiões onde a chuva é escassa, sobretudo nas zonas rurais.
  • 2017
    III Levantamento Nacional de Uso de Álcool e Drogas pela População Brasileira de 12 a 65 anos
    +

    Pesquisa domiciliar em nível nacional, encomendada pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com administração financeira da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec). À Science coube selecionar a amostra, composta por 16.400 domicílios em 351 municípios brasileiros, dos quais 16.273 foram entrevistados, com 99,2% de taxa de resposta. Além disso, montou e participou do treinamento de toda a equipe de campo (coordenadores estaduais, supervisores e entrevistadores); acompanhou a coleta de dados; digitalizou todos os questionários; gerou a base de dados; criticou e realizou a imputação probabilística dos dados; calculou e calibrou os pesos amostrais; tabulou os principais resultados obtidos; e gerou o banco de dados. O coordenador da pesquisa foi o professor doutor Francisco Inácio P. Bastos, a coleta de dados foi feita de maio a setembro de 2015 e, após atender a solicitações da Senad, a tabulação foi finalizada em novembro de 2017.
    Pesquisa de preços ao consumidor do segmento de bebidas frias no estado do Rio de Janeiro
    +
    Contratado pelo Instituto Economia, Trabalho e Sociedade (Iets), o levantamento de preços ocorreu em 1.704 pontos de venda de todo o Rio de Janeiro, com o objetivo de estabelecer o preço médio de bebidas frias (cervejas, chope, águas minerais, refrigerantes etc.) comercializadas no estado, para fins de substituição tributária. A pesquisa foi coordenada pelo economista Manuel Thedim e conduzida entre setembro de 2016 e fevereiro de 2017. A equipe da Science desenhou a amostra de locais de compras e de produtos a serem pesquisados, realizou a coleta dos dados e produziu o relatório final do estudo.
  • 2013
    Sistema de indicadores socioambientais – Bacia de Santos
    +

    O projeto consistiu no desenvolvimento de um sistema de indicadores socioambientais no âmbito da unidade de operação, exploração e produção de petróleo e gás da Petrobras na Bacia de Santos. Ao longo do trabalho, realizado entre junho de 2011 e dezembro de 2013, a Science apresentou seis relatórios, com destaque para os seguintes itens desenvolvidos: bases teóricas e conceituais para a elaboração de um sistema voltado ao monitoramento de possíveis mudanças sociais e econômicas promovidas pelo desenvolvimento das atividades relacionadas à indústria de petróleo e gás natural; métodos e procedimentos metodológicos adotados na construção do sistema; procedimentos utilizados na sistematização de dados e informações, contemplando a captura, a organização e o armazenamento de dados e informações; e apresentação dos produtos definidos pela Petrobras, bem como um descritor sintético de seus conteúdos.
  • 2005
    Consultoria em socioeconomia – Licenciamento de Angra 3
    +

    De 2002 a 2005, a Science prestou consultoria à Eletrobras Termonuclear (Eletronuclear) no processo de licenciamento para instalação da usina nuclear Angra 3, quando realizou a análise socioeconômica da área de influência do empreendimento, a fim de atender ao Termo de Referência 017/99, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O projeto contemplou a análise da dinâmica populacional, a caracterização das comunidades afetadas com a instalação da nova usina e a caracterização da infraestrutura econômica e social, além de pesquisa domiciliar a respeito dos hábitos alimentares da população residente. A partir dos resultados, a Science elaborou o Estudo de Impacto Ambiental / Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima), requisito para concessão das licenças, e fez o mapeamento de padrões de uso e ocupação do solo. Ainda hoje, a Science mantém contrato de consultoria com a Eletronuclear, com foco no acompanhamento, junto ao Ibama e a outros órgãos, do processo de licenciamento ambiental e autorização para funcionamento de Angra 3.
    Levantamento socioeconômico – comunidades de pescadores
    +

    Para atender a uma demanda da Petrobras, a Science realizou levantamento socioeconômico das comunidades de pescadores dos municípios de Arraial do Cabo, Macaé e São Francisco de Itabapoana, no estado do Rio de Janeiro. A pesquisa foi conduzida entre 2004 e 2005.
  • 2004
    Bolsas e reforço acadêmico a programa de mestrado
    +

    Com apoio da Fundação Ford, a Science promoveu programa de bolsas para professores visitantes e para alunos do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence). O propósito era contribuir para a consolidação do programa de mestrado da Ence, bem como reforçar questões metodológicas e o uso de microdados provenientes das pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além das bolsas de estudo, a iniciativa contemplou oficinas sobre conceitos, fontes de dados, indicadores sociais e políticas públicas; seminário a respeito de indicadores de Direitos Humanos; e a criação de uma sala de uso público, onde pesquisadores de instituições públicas e ONGs tiveram o auxílio de assistentes para acessar e processar os bancos de dados do IBGE.
    Juventude nas Comunidades do Caju
    +
    A Science foi responsável pelo desenvolvimento metodológico e pela execução do projeto realizado pelo Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), em parceria com o Institut National de la Recherche Agronomique (Inra). A pesquisa domiciliar foi realizada por amostragem probabilística, entre junho de 2003 e fevereiro de 2004. Sua principal finalidade era analisar a distribuição do tempo dos jovens moradores do Complexo do Caju, no Rio de Janeiro, entre trabalho, escola e lazer, bem como suas condições de vida e aspectos comportamentais, educacionais e profissionais.
  • 2003
    Assessoria para aperfeiçoamento do cálculo do PIB
    +
    O Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP) recebeu assessoria técnica da Science no período de 2001 a 2003 para aperfeiçoamento metodológico do cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) trimestral do município do Rio de Janeiro. O trabalho incluiu fornecimento de informações estatísticas de acordo com os programas de trabalho específicos da Diretoria de Pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
    Indicadores de inovação na indústria brasileira
    +
    A Science construiu, de forma sistemática e abrangente, indicadores do processo de inovação na indústria brasileira para a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep). Elaborado entre 2001 e 2003, o trabalho considerou a relevância dos indicadores para os responsáveis pela formulação de políticas nessa área, a fim de facilitar o desenho, a implementação, a avaliação e o aprimoramento de iniciativas que correspondessem às necessidades das empresas e pudessem, assim, orientar as estratégias empresariais.
    Atuação policial no Rio de Janeiro
    +
    Em 2003, a Science desenvolveu a metodologia e executou pesquisa domiciliar para a Sociedade Brasileira de Instrução (SBI), com o objetivo de obter informações sobre as práticas de abordagem policial na cidade do Rio de Janeiro, além de conhecer a percepção da população a respeito da atuação policial nas ruas, em blitzes e outras situações. O método utilizado foi a amostragem probabilística.
  • 2002
    Metodologia para validação de beneficiários no Cadastro Único
    +
    Em 2002, a Science desenvolveu uma metodologia para obtenção de informações estatísticas que permitissem à Caixa Econômica Federal (CEF) validar as informações de seus beneficiários no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), no estado da Paraíba. O cadastro é um instrumento de coleta de dados e informações cuja finalidade é identificar todas as famílias de baixa renda existentes no país para que possam ser incluídas em programas de assistência social e redistribuição de renda.
    Pesquisa de beneficiários de programas sociais
    +
    Para auxiliar o programa Rede de Pesquisa e Desenvolvimento de Políticas Públicas, do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), a Science elaborou o planejamento de uma pesquisa amostral cuja população-alvo eram beneficiários de diferentes programas sociais. O projeto foi financiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e abrangeu planejamento e dimensionamento de uma amostra probabilística de beneficiários e seus respectivos domicílios; seleção da amostra e elaboração de cadastro de coleta; definição e execução do procedimento de expansão da amostra; e desenvolvimento da metodologia de avaliação da precisão das estimativas.
  • 2001
    Análise da indústria de máquinas e equipamentos
    +
    Em 2001, a Science prestou consultoria técnica à Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) para análise da estrutura e do desempenho deste segmento industrial no período de 1988 a 1995, com base nos resultados da Pesquisa Industrial Anual (PIA), e no período posterior a 1996, a partir dos dados da PIA-Empresa. Para produzir informações conjunturais sobre o setor, foram considerados indicadores especiais da produção física, obtidos a partir da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF).

Newsletter